top of page

Aplicações Gerais da Citometria de Fluxo na Medicina Veterinária

por Dr. Fabrizio Grandi


Médico Veterinário - FMVZ, USP Residência em Patologia - FMVZ, UNESP, Botucatu Mestrado e Doutorado em Patologia - Faculdade de Medicina de Botucatu, UNESP CEO Vetschool São Paulo Ex-diretor científico da Associação Brasileira de Patologia Veterinária (ABPV)


Aplicações Gerais da Citometria de Fluxo na Medicina Veterinária

A citometria de fluxo é uma técnica amplamente utilizada na área da saúde

humana, mas também tem ganhado destaque na Medicina Veterinária. Essa

tecnologia permite a análise simultânea de várias características das células,

como tamanho, morfologia e expressão de proteínas, proporcionando

informações valiosas para o diagnóstico e monitoramento de doenças em

animais.

A citometria de fluxo baseia-se na passagem de células individualmente por um

feixe de LASER. À medida que as células passam pelo feixe, elas interagem

com a luz e emitem sinais fluorescentes que são capturados por detectores.

Esses sinais são convertidos em informações digitais, permitindo a análise

quantitativa e qualitativa das células presentes em uma amostra.

Na Medicina Veterinária, a citometria de fluxo tem diversas aplicações clínicas.

Uma delas é o diagnóstico de doenças como os linfomas e leucemias. Através

da análise do perfil celular, é possível identificar alterações nas populações de

células sanguíneas, como aumento ou diminuição dos leucócitos, presença de

células imaturas, entre outros, auxiliando no diagnóstico e no monitoramento

dessas doenças.

Além disso, a citometria de fluxo também é utilizada na identificação e

classificação de tumores em animais. Através da detecção de marcadores

celulares específicos presentes nas células tumorais, é possível diferenciar

diferentes tipos de câncer e determinar seu grau de agressividade. Essa

informação é crucial para a escolha do tratamento mais adequado e para o

prognóstico do animal.

Outra aplicação importante da citometria de fluxo na Medicina Veterinária é a

imunofenotipagem. Essa técnica permite a identificação e caracterização de

células do sistema imunológico, como linfócitos, macrófagos e células

dendríticas, com base na expressão de diferentes marcadores de superfície.

Além das aplicações clínicas, a citometria de fluxo tem sido utilizada em

pesquisas veterinárias, contribuindo para o avanço do conhecimento em

diversas áreas. Ela é especialmente útil em estudos de imunologia, genética,

biologia celular e desenvolvimento de vacinas. Através da análise

multiparamétrica oferecida pela citometria de fluxo, é possível obter

informações detalhadas sobre a função e a interação de diferentes células e

moléculas no organismo animal.

É importante ressaltar que a realização da citometria de fluxo requer

equipamentos especializados e pessoal treinado, pois a interpretação dos

resultados depende da correta configuração dos parâmetros de análise. Além disso, o uso de anticorpos e marcadores fluorescentes específicos é essencial

para a identificação e quantificação adequada das células de interesse.

Em conclusão, a citometria de fluxo desempenha um papel crucial na Medicina

Veterinária, permitindo a análise detalhada das células e fornecendo

informações valiosas para o diagnóstico, monitoramento e pesquisa de

doenças em animais.



(Créditos da foto): Mikami H et al. Virtual-freezing fluorescence imaging flow cytometry. Nature Communications. Open article.

31 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page